Os 5 piores jogos do Cavaleiro das Trevas

0
220

Acredite ou não, houve um tempo em que os jogos de Batman não eram exatamente os melhores do mundo. De fato, alguns títulos se basearam mais na licença geral do que na própria identidade do morcego, como resultado, vimos uma série de jogos verdadeiramente horríveis e tediosos do personagem. Novamente, eles ficaram melhores com o tempo mas vamos relembrar os piores jogos do Batman.

Batman: Revenge of the Joker (Sega Genesis)

Quando Batman: Return of the Joker saiu para o NES, provou ser um jogo muito bom. Sim, não ficamos entusiasmados com a ideia do Cavaleiro das Trevas, apenas disparando armas em todos os lugares, mas ainda era bastante decente.  A versão Sega Genesis desse jogo, no entanto, é horrível. A equipe da Sunsoft trouxe o jogo com um esforço mínimo, com controles escorregadios que dificilmente conseguiram qualquer coisa, e um esquema de cores que estava tão fora de equilíbrio, era quase como um designer de quadrinhos que ousava sombrear tudo completamente errado.

Batman Forever (Sega Genesis, Super Nintendo)

Este jogo saiu no meio da execução de licenciamento gigantesco da Acclaim, quando apenas manteve a produção de jogos fracos baseados em franquias de sucesso, como Stargate, o juiz Dredd ou qualquer outra franquia de sucesso no momento. Batman Forever não conseguiu fazer nada de bom com a franquia, confiando mais em seus gráficos capturados por movimento do que qualquer tipo de jogabilidade viável. E mesmo os visuais não ajudam, já que o jogo parece ser medíocre e sem inspiração. O filme, pelo menos, teve risadas (intencionais e não intencionais), enquanto o jogo existe para produzir o tédio. O jogo de arcade é um pouco melhor, principalmente porque é muito mais complicado com diversos inimigos na tela.

Batman & Robin (PlayStation)

Parece apenas apropriado que um dos piores filmes do Batman (se não o pior) faria um jogo igualmente escroto. A Acclaim tentou impulsionar a franquia para essa aventura em 3D, com base na decepção de 1997 de mesmo nome, mas, apesar do visual inovador para a época, o jogo se mantem decepcionante e incrivelmente tedioso. Ele tentou introduzir elementos de detetive que a equipe da Rocksteady usou em seus jogos recentes, mas a jogabilidade não casou com o game. Além disso, dá a impressão de não ter ritmo algum, nem a ação consegue ser satisfatória, e o jogo como um todo se sente tão decepcionante como próprio filme. Se você é curioso, provavelmente pode encontrar uma cópia na internet, mas não vai estar perdendo nada se passar longe desse jogo.

Batman: Dark Tomorrow (GameCube, Xbox)

No início, era legal ouvir sobre um jogo de Batman que usaria como base mais com o material do aclamado desenho animado, em vez de uma adaptação cinematográfica. Mas então Dark Tomorrow realmente chegou. Mesmo que a abertura do jogo seja bastante promissora e animadora, o jogo em si nunca cumpre seu potencial, principalmente devido à sua jogabilidade completamente sem rumo e confusa. Os famosos apetrechos do homem morcego simplesmente não funcionam como deveriam. Com uma série de missões repetitivas, gráficos bem inferiores aos jogos da época e um sistema de câmera incrivelmente ruim (espero que você goste de olhar para as paredes), e você tem um jogo que desperdiça seu potencial quase que imediatamente ao iniciá-lo.

Batman Beyond: Return of the Joker (Nintendo 64, PlayStation)

Num momento em que os beat-em-ups estavam prosperando em consoles domésticos, Kemco decidiu fazem um com a franquia Batman Beyond. E foi uma oportunidade fundamental para tornar a série futurista brilhar no domínio do videogame, especialmente com base no filme animado Return of the Joker – um dos melhores que foi lançado para essa era. Mas infelizmente querer não é poder.Return of the Joker é apenas ruim. A ação de combate é básica e não traz qualquer tipo de inovação, apesar da inclusão de uma série de apetrechos. Além disso, os gráficos e o som estão além de decepcionante, sem nenhum apelo ao público. Batman Do Futuro merece um jogo muito melhor.

BONUS: Batman: Gotham City Racer (PlayStation)

A ideia de um jogo de corrida baseado em Batman não é realmente tão sem noção quanto parece. Dito isto, a Ubisoft perdeu a mão na tentativa em Batman: Gotham City Racer. Nele, você vai correr através de uma série de missões usando o Batmóvel, enfrentando todos os tipos de inimigos. Mas, dnaverdade, a ação é repetitiva , e a única coisa interessante sobre o visual é que remete diretamente ao da serie animada aclamada pelos fãs, Batman: The Animated Series. Ubisoft melhorou com Rise of Sin Tzu, mas perdeu totalmente a marca no circuito de corrida.